Desabafo interior…

“Sinto na simplicidade, minhas melhores respostas.”

Quando nos comparamos a outros, enxergamos apenas o que “outros” têm de melhor, e normalmente, isso se restringe a qualidades não definidas por nós, mas sim pela herança cultural ou social. Deixamos de observar nossas sutilezas e simplicidades, nos perdemos no que realmente não importa para nós e, nesse momento, deixamos de nos amar.

Alguns nasceram para brilhar, para aparecer, outros para construir em si sua história de vida, no silêncio, na simplicidade. Sinto na simplicidade, minhas melhores respostas. Aquelas que não me cobram de que eu preciso ser isso ou aquilo para ser importante, de que eu preciso ter isso ou aquilo para ser reconhecida. Quando reconheço a mim mesma, percebo que seria desnecessário ter tudo ou ser tudo o que as pessoas querem que eu seja.

O que preciso Ter são Meus Valores, para reconhecer o que importa ou não em minha vida. O que preciso Ser é alguém que realiza o que lhe faz feliz, mesmo entendendo que não é em 100% do tempo que me sinto feliz, mas em 100% do tempo caminho para esse objetivo.

Todos que passam por mim têm algo a me ensinar, mas perder-se nesses ensinamentos como se fossem a resposta absoluta para minha própria história também não faria sentido. Ouço o que outros compartilham e no meu silêncio, reconheço os ensinamentos que são para mim e os que, mesmo sendo muito bonitos, são destinados a outros. Entendo aqui, que é impossível viver, sob o ponto de vista de outra pessoa, a não ser eu mesma.

Quando entendo que amigos queridos que compartilham comigo caminho similar me apoiam e são apoiados por mim e, juntos, formamos uma rede, que nos beneficia individualmente, mas que também beneficia a muitos outros, tudo se torna mais fácil.  E consigo compreender a importância de, conscientemente, fazer parte dessa conexão, pois muitas vezes compartilho para a sustentação do grupo, mas em muitas outras, o compartilhamento de todos, me sustenta.

Que benção! Que Alegria! Poder compartilhar e compreender  que não estou só, que tenho um papel no Todo, que posso estar fraca em um momento e forte em outro e que isso faz parte de minha natureza humana. Que liberdade! Poder ser eu mesma, podendo expressar minhas emoções e perceber que assim, posso auxiliar outros a libertar-se também. Quanta Gratidão! Por  me permitir verbalizar o que eu precisar ou poder me calar quando não tiver nada a dizer. Apenas ser eu mesma.

Seguir o exemplo de alguns que vieram há tempos atrás, Ontem me parecia uma utopia, mas  Hoje percebo ser o grande motivo da existência humana. E então, caminhar em verdade comigo mesma, para um destino que acredito ser de todos nós, a Iluminação da Consciência Divina em si.

Gratidão,

Eu Sou Adriana Capopizza

The following two tabs change content below.

Adriana Capopizza

Terapeuta especialista em autodesenvolvimento e Autocura através de técnicas de Radiestesia, Numerologia, Terapia Floral e Quântica, Meditação e sessões de Interiorização. Formação: Bioquimica-Farmácia, Naturopatia, Terapia Floral Brasileira, Radiestesia, Radiônica Tradicional e Quântica, Yoga, Meditação ativa, Numerologia, Toque Vibracional, Acupuntura, Tarot, Magnified Healing, entre outras.

Últimos post de Adriana Capopizza (ver todos)

1 Comentário em Desabafo interior…

  1. Só temos que agradecer a você por esse coração
    lindo bondoso e prestativo.
    Obrigada Adriana.
    Sucesso.

Escreva um comentário

Seu e-mail não será divulgado


*