Coletividade: somos todos um.

Há muitos e muitos anos os seres humanos começaram a perder o senso de coletividade, passando a pensar mais no próprio bem estar e no acúmulo de bens, além do necessário, do que no Todo.

O sentimento de sermos um só e de que viemos do mesmo lugar ficou adormecido, dando espaço para uma ideia separatista e competitiva que começou centenas de anos atrás. Este “novo” sentimento, por sua vez, é baseado na busca pelo poder e pelo “ter” desenfreado, nos trazendo uma sensação de estarmos separados do todo, competindo o tempo todo por sobrevivência e acúmulo de bens.

E então, pelo grande número de pessoas que passaram a pensar dessa mesma maneira, formou-se uma das crenças mais enraizadas em nossa sociedade atual: a da competitividade. Por diversos séculos, a sociedade criou crenças sobre a luta pelo poder como: “você precisa ser melhor do que os outros para conseguir ter sucesso.”

E o que essas crenças resultaram? Em uma grande separação e no esquecimento do pertencimento e da união.

A sociedade passou a se dividir em classes sociais, raças, crenças, religiões, causando um sentimento de superioridade que imperou por muito tempo e está presente até hoje. 

E qual é a solução? O resgate da união. Precisamos urgentemente resgatar o sentimento de que todos nós viemos e somos do mesmo lugar. 

Além, é claro, de nos relembrarmos do quanto o nosso planeta é abundante e de que essa abundância existente aqui na Terra vale para todos os seres.

Por exemplo: Pense numa árvore. Ela é abundante, não é? Ela consegue captar água, luz e sais minerais, além de produzir oxigênio, frutos e também diversos nutrientes para a infinidade de seres que circulam desde as suas raízes até a sua copa. Agora pense na floresta inteira.

Uma floresta é um sistema cooperativo. As árvores se comunicam e são muito mais do que vemos. As mais velhas e saudáveis, por exemplo, mandam minerais e carbono para as mais novas ou para as doentes, sem que as falte nada. Elas os fazem simplesmente pelo bem estar do todo. Elas sabem e entendem a abundância do planeta, então compartilham e servem sem esperar nada em troca. 

Isso é apenas um exemplo de uma maneira perfeita de se relacionar e pensar no bem estar coletivo. E uma ótima metáfora para entendermos o nosso papel dentro da sociedade.

A comunicação e colaboração entre as árvores preserva todo o ecossistema. Então, a união entre os seres humanos preservará não só a nossa existência, mas todo o ecossistema em que vivemos. 

Aqui também vale uma reflexão entre Abundância x Escassez. O que faz a gente buscar e acumular mais do que precisamos, é o medo da escassez, que é o receio de faltar algo.  Mas quando paramos para pensar, olhe quão abundante é nosso planeta. Você acha que realmente faltaria para alguns se tudo fosse compartilhado com mais coerência? 

Vivemos em um Universo onde é permitido conquistar tudo aquilo que está verdadeiramente no nosso caminho, sem que falte nada a ninguém. Quando obtemos sucesso, incentivamos as pessoas à nossa volta a fazerem o mesmo. 

Quando o nosso coração e a nossa mente entendem que o sucesso do outro é também o nosso sucesso, e vice-versa, trazemos benefícios não só para a nossa saúde e bem estar, mas para o planeta.

O poder da coletividade é infinito. O atual cenário do Planeta mostra o quanto podemos fazer a diferença quando estamos unidos. Assim como um vírus pode se espalhar e trazer desafios à vida das pessoas, boas ações comunitárias salvam a vida de muitos.

A maior e verdadeira cura do mundo começará quando atingirmos uma massa crítica que entenda que somos todos um e que o sucesso e bem estar do outro também é o nosso.

Então, reflita: como você tem cuidado da sua árvore? Como ela tem recebido e doado nutrientes  para a “floresta” em que você vive?

Vamos juntos cuidar da nossa floresta?

Gratidão,

Por Letícia Ornelas Pugliese

The following two tabs change content below.

Portal Zen Daat

Somos um Portal que traz luz, cura e oportunidades de troca, equilíbrio e paz interior.

Últimos post de Portal Zen Daat (ver todos)

Escreva um comentário

Seu e-mail não será divulgado


*